15 de novembro

por pe. Emiel Abalahin, O.Carm.

As casas da maioria das pessoas não consistem em uma mera estrutura de madeira ou uma fundação de cimento; em vez disso, eles são construídas a partir de uma grande variedade de materiais e, na maioria das vezes, o resultado da participação de mais de uma ou duas pessoas. Assim também, a Ordem do Carmelo continua crescendo e se desenvolvendo hoje por causa da presença e contribuição de todos aqueles que construíram sobre seus fundamentos espirituais, e não apenas seus grandes santos.

Nesta comemoração de todas as almas carmelitas, chamamos a atenção para todas essas pessoas e sua parte na herança que nos foi transmitida. Esses nossos irmãos e irmãs podem não ter sido escritores espirituais famosos nem renomados por experiências extraordinárias de oração, mas eles deixaram sua marca na Ordem e em cada um de nós através de seus próprios esforços para viver em obediência a Jesus Cristo em serviço à Ordem e a Igreja. Se como padres ou irmãos, freiras ou irmãs, membros consagrados leigos ou da ordem terceira, eles trouxeram o espírito do Carmelo para suas vidas diárias e para todos aqueles ao seu redor. Outros não membros oficiais da Ordem, mas graças à sua generosidade de tempo, talento e apoio, encorajaram-nos os carmelitas a uma fidelidade cada vez mais profunda à nossa vocação.

Mas este dia não é simplesmente um dia para lembrar. É também um dia em que a Ordem ora especialmente por estas almas num ato de fé que confia na misericórdia e promessas do próprio Jesus Cristo, “a ressurreição e a vida” (João 11:25) que nos assegura que a vontade do Pai é que ele não deve perder nada do que ele lhe deu, mas que ele deve levantá-lo no último dia (João 6:39). Através da nossa oração, unidos à intercessão de Maria, pedimos a Deus que olhe para as nossas irmãs e irmãos em Sua infinita e grande misericórdia (cf. Is 55, 7-11), e chame-os para casa. Ao mesmo tempo, as nossas súplicas são também para os nossos Carmelitas que partiram, encorajando-os a moverem-se em direção a Deus com grande confiança de que aquilo em que acreditaram, vivenciaram e viveram durante a sua vida terrena será agora plenamente realizado no eterno abraço Divino.

Para nós, também, que permanecemos nesta existência terrena, este dia serve como um lembrete importante de que esta vida terrestre é apenas um momento passageiro, uma breve estada para uma realidade mais vibrante e permanente. Esta comemoração, portanto, é um convite para priorizar nossas vidas de tal forma que reflita essa esperança futura, deixando de lado tudo o que nos faz desperdiçar nosso tempo e esforços e nos impedindo de nos empenhar pelo objetivo da vida eterna em Deus. Essas almas fielmente afastadas pelas quais oramos nos ajudam a entender que não estamos sozinhos nesta peregrinação, porque eles também viajaram pelo mesmo caminho para a eternidade.

Por isso, lembremo-nos e rezemos de maneira especial hoje por nossos irmãos carmelitas que partiram, dando graças por tudo o que fizeram e orando para que desfrutem do seu descanso eterno. Ao fazer isso, continuamos a participar da edificação da casa de Deus, esta casa de muitas moradas (João 12: 4), da qual nossos irmãos e irmãs, e nós mesmos, somos convidados a um dia reivindicar como nossa eterna casa.

Fonte: ocarm.org


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui