Carisma Carmelitano

COMO VIVEMOS NOSSAS VIDAS? QUAL NOSSO CARISMA?

Um carisma é um presente de Deus para a Igreja para o mundo. Com relação a uma Ordem Religiosa, o termo refere-se ao dom que Deus dá a um indivíduo ou grupo para inspirar a fundação de uma nova família religiosa dentro da Igreja. Este dom é transmitido através dos séculos e enriquecido por todos os que são chamados a vivê-lo.

O carisma de cada família religiosa é o modo particular pelo qual seus membros são chamados a seguir a Cristo. Como todos os cristãos seguem a Cristo, os carismas terão muitos elementos em comum, mas a maneira pela qual esses elementos são enfatizados dá a cada grupo religioso uma sensação única. Todas as famílias religiosas foram convidadas pela Igreja a redescobrir seu carisma fundacional original e torná-lo vivo em cada cultura e em todas as épocas.

Esta Regra de Santo Alberto e a experiência das Carmelitas, na medida em que procuraram ser fiéis a ela em várias circunstâncias, deram forma definitiva ao carisma. Podemos dizer que existem vários elementos que compõem o carisma carmelita. Em primeiro lugar, e mais importante, é uma maneira de seguir a Cristo com total dedicação. Os carmelitas fazem isso buscando formar comunidades contemplativas a serviço do povo de Deus, em cujo meio vivem. Fraternidade, serviço e contemplação são valores essenciais para todos os carmelitas.

CONTEMPLAÇÃO

O coração do carisma carmelita é a oração e a contemplação. A qualidade da nossa oração determina a qualidade da vida da comunidade e a qualidade do serviço que é oferecido aos outros. O objetivo da vida carmelita é a união com Deus. Procuramos viver na presença de Deus e consentir com a vontade de Deus para nós. Isso nos envolve em ouvir a Deus que nos fala de muitas maneiras e especialmente nas palavras da Sagrada Escritura. A oração é a maneira como nos relacionamos com Deus e à medida que crescemos em amizade com Cristo, nossa oração tenderá a se tornar mais e mais simples. O relacionamento com Cristo nos mudará, impelindo-nos a sair da prisão do egoísmo em direção à luz brilhante do amor puro por Deus e por nossos semelhantes. Somos chamados a embarcar em uma jornada de fé pela qual somos gradualmente despojados de tudo o que não é Deus para que possamos nos revestir de Cristo. Fazemos tudo o que podemos para responder à iniciativa de Deus ao nos chamar, mas estamos conscientes de que, no final, somente Deus pode mudar nossos corações e, assim, aprendemos a esperar pacientemente pela vinda de Deus a nós. Ao seguirmos a Cristo por esse caminho de confiança em Deus, somos inspirados pelo exemplo e pelas virtudes de Maria, a mãe de Jesus, e do profeta Elias.

Oração e contemplação para o carmelita não são assuntos privados entre o indivíduo e Deus, mas devem ser compartilhados com os outros desde que o carisma é dado para o mundo inteiro. Portanto, há uma ênfase na Ordem no ministério de ensinar a oração e dar orientação espiritual. O carmelita está ciente de que a transformação do coração humano por Deus pode estar escondida da maioria dos olhos, mas tem consequências de longo alcance para o nosso mundo. O caminho da oração é misterioso e vai além das nossas categorias humanas normais. A oração nos abre ao Mistério Supremo.

FRATERNIDADE

Os carmelitas procuram formar comunidades onde cada pessoa se sente aceita e valorizada não pelo que pode fazer, mas simplesmente pelo que é. Este tipo de comunidade é em si uma testemunha de que o amor de Cristo pode derrubar as barreiras que os seres humanos criam e que é possível que pessoas de diferentes origens e nacionalidades vivam em paz e harmonia. Os carmelitas também estão conscientes de fazer parte de uma fraternidade internacional que está presente em muitas partes do mundo.

SERVIÇO

Os eremitas foram forçados a deixar sua casa no Monte Carmelo e se estabelecer na Europa. Lá eles mudaram seu estilo de vida de eremitas para frades. A principal diferença é que os frades são chamados a servir o povo de Deus em algum apostolado ativo e nós terceiros carmelitas somos chamados a servir a Igreja onde quer que ela necessite de nosso apoio. Algumas Congregações Religiosas foram fundadas para um trabalho específico, mas a Ordem Carmelita tenta simplesmente responder às necessidades da Igreja e do mundo que diferem segundo o tempo e o lugar, e assim muitos terceiros trabalham em paróquias, escolas, universidades, centros de retiro, prisões, hospitais etc. O tipo de serviço em que cada terceiro participa dependerá das necessidades das pessoas em cujo meio ele vive e de seus talentos particulares.

Fonte: https://ocarm.org