Missão dos Terceiros

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa.
Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus – Mateus 5:14-16

Viver em obséquio de Jesus Cristo e servi-lo fielmente de coração puro e consciência reta

Os terceiros carmelitas são atraídos pela Ordem Carmelita por sua espiritualidade. Para nós a dimensão contemplativa da oração carmelitana expressa uma atitude de abertura a Deus, cuja presença os terceiros carmelitas são chamados a descobrir em toda parte. Constituindo uma jornada interior, uma jornada de deserto para encontrar Deus, para ser dominado por seu amor. Esse amor nos esvazia de nossos modos limitados e imperfeitos de pensar, amar e agir; e nos transforma no caminho de Deus.

Para o terceiro carmelita, a atitude contemplativa em relação ao mundo que nos rodeia nos faz descobrir Deus presente em nossas experiências cotidianas e nos faz encontrá-lo especialmente no próximo. Assim, os terceiros carmelitas são levados a valorizar o mistério das pessoas ao seu redor com quem compartilham sua vida. Com base no que experimentamos no Carmelo, buscamos o diálogo, a reconciliação e a cura em nossos relacionamentos. Os terceiros carmelitas estão sendo constantemente formados pela Palavra de Deus através da lectio divina, na qual eles refletem sobre a lei do Senhor (Regra 7).

Na tradição do Carmelo, buscamos a face de Deus no coração do mundo. Estamos abertos para os outros, devemos ser capazes de ouvir e de ser questionados pela nossa cultura e meio ambiente; nos oferecendo para colaborar com aqueles que se comprometem com a busca do reino de Deus. A contemplação, a comunidade e o serviço constituem, assim, o chamado e a missão do terceiro carmelita e sua maneira particular de servir a Deus e a sua Igreja.

Os terceiros carmelitas procuram servir o Deus vivo na adoração de nossos lábios e de nossas vidas. Somos chamados a exprimir em qualquer situação o nosso chamado carmelita na vivência concreta de nosso lugar no mundo. Vivememos a nossa vocação batismal e de confirmação apoiada e inspirada no espírito e ideal carmelita. Nós abraçamos a busca por Deus de maneira específica onde os deveres de nosso estado na vida nos permitem vivenciar nossa Regra de vida. Damos algum tempo diário à lectio divina, para enraizar a Sagrada Escritura em nossos corações. Vemos a Missa como o centro da vida carmelita, nossa fonte e alegria. Sempre que possível e que a vida permitir rezamos a Liturgia das Horas ou o ofício próprio da Ordem Terceira – Oremos com Maria. Valorizamos nossas reuniões de grupo e damos a elas uma alta prioridade.

Os terceiros carmelitas são chamados à edificação da comunidade eclesial, participando, consciente, ativa e fecundamente, na vida litúrgica da comunidade e emprenhando-se para que a celebração se prolongue na vida concreta. Significa dizer que os frutos de seu encontro com Deus se manifestam em todas as suas atividades, orações e iniciativas apóstólicas, no repouso espiritual e corporal e até mesmo nas próprias privações da vida, quando suportadas com paciência e de coração aberto.

Por causa da presença dos terceiros carmelitas nas situações da vida cotidiana (escolas, empresas, hospitais, creches, seio familiar, etc), ambientes estes que por vezes não são servidos pelos frades ou pelas irmãs, os terceiros carmelitas são chamados a transformarem o mundo e testemunharem com suas vidas na justiça e na caridade o carisma carmelitano do serviço, fraternidade e contemplação colocando à disposição do mundo os dons de que são dotados, anunciando o Evangelho na fé por meio de suas obras, denunciando o mal com coragem e sem vacilar.